quinta-feira, 27 de julho de 2017

Juiz Roney Moreira comemora publicação de mais duas Varas para a comarca de Teixeira de Freitas

Nesta quinta-feira, dia 27 de julho, o juiz Roney Jorge Cunha Moreira concedeu uma entrevista exclusiva ao Jornal do Descobrimento, informativo do meio dia da Rádio Câmara de Teixeira de Freitas (90,9 FM), quando informou a publicação feita pelo Tribunal de Justiça da Bahia no Diário Oficial da Justiça, oficializando a criação de mais duas Varas para a comarca, sendo a 2ª Vara Crime e a Vara da Fazenda Pública.

Essas duas novas Varas, segundo Cunha, vão proporcionar mais celeridade nos despachos dos processos. “A segunda Vara Crime vai dobrar a capacidade de atendimento dos processos criminais e a Vara da Fazenda Pública, propicia o seu desmembramento da atual Vara Cível”, disse. Somente na atual Vara Civil de Teixeira de Freitas, segundo o juiz Roney Cunha, existem 30 mil processos.

Ainda segundo o juiz Roney Cunha, há meses ele mantém contato com a Desembargadora Maria do Socorro, presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, sobre a necessidade de instalação dessas novas Varas em Teixeira de Freitas. “Falava com ela [Desembargadora] ou sua assessoria semanalmente sobre esses pleitos. Hoje cedo ela própria me deu a notícia, que considero muito positiva para Teixeira de Freitas e a região”, disse.

Perguntado se a decisão do TJBA tinha relação com um manifesto recente feito por um grupo de advogados teixeirenses, cobrando justamente a instalação de novas varas e designação de juízes titulares para a comarca, Roney Cunha disse não acreditar, apesar de reconhecer a legalidade das reivindicações. “A OAB, na diretoria passada e nessa atual, já havia feito essas cobranças para o Tribunal. Acho que essas cobranças mais antigas é que contribuíram para demonstrar ao TJBA sobre a demanda aqui da comarca”, falou.
Sobre a estrutura para funcionamento das duas novas Varas, Roney Cunha adiantou que haverá um compartilhamento de servidores já disponíveis na comarca e pontuou que não enxerga problemas para a demanda. “Disse para a Desembargadora Maria do Socorro, minha conterrânea, que ela determinasse as instalações, que eu providenciaria a estrutura. E assim vou me esforçar pra fazer”, afirmou.

Em relação ao prazo para instalação das duas novas Varas o magistrado informou que a Desembargadora Maria do Socorro deixa a presidência do Tribunal de Justiça no início do ano que vem e ela não deseja deixar nenhuma pendência de sua gestão. 
(Por Ronildo Brito)

Nenhum comentário:

Postar um comentário