quarta-feira, 3 de maio de 2017

Internauta cria 'vaquinha' por novo cassetete para PM que agrediu estudante e gera revolta

Policial quebrou cassetete no rosto de manifestante, durante protesto em Goiânia. Vítima segue em estado grave

Cassetete de PM quebra ao atingir estudante na cabeça (Foto: Reprodução)
Vítima da violência policial, o universitário Mateus Ferreira da Silva, 33 anos, internado em estado grave após ser agredido por um policial militar durante a denominada Greve Geral da última sexta-feira (28), em Goiânia, agora é vítima da insensibilidade. Isso porque um internauta, contrário às manifestações, resolveu organizar um controverso evento nas redes sociais, intitulado "Vaquinha para novo cassetete pro PM de Goiânia". O cassetete do policial quebrou ao atingir o rosto do estudante.

A proposta, no entanto, não foi recebida positivamente por internautas, de acordo com reportagem do jornal Extra. Um dos internautas que condenaram a iniciativa escreveu: "Não é uma questão de ser esquerdista: é uma questão de ser civilizado. Quem deseja o respeito dos outros, precisa respeitar os outros. Você mesmo abriu a porta do desrespeito e do escárnio à violência praticada pelo PM contra um cidadão, o que me faz sentir por você um desprezo sem limites".

O capitão da Polícia Militar do Estado de Goiás Augusto Sampaio de Oliveira Neto, autor da agressão, e que foi filmado agredindo manifestantes durante os protestos contra as reformas propostas pelo governo Michel Temer, já foi denunciado por outras quatro agressões, uma delas envolvendo menores de 18 anos.

Segundo a assessoria da PM, as imagens não deixam dúvidas de que foi uma agressão. O policial vai permanecer no serviço administrativo, enquanto durar a investigação aberta pela corregedoria da corporação.

Solidariedade
Apesar da brincadeira de mau gosto, um ato de solidariedade ao rapaz foi marcado para esta terça-feira (2). Amigos de Mateus vão fazer uma vigília em frente ao Hospital de Urgênciais de Goiânia (Hugo) até quarta-feira. Nas redes sociais, o DCE da Universidade Federal de Goiânia, onde o jovem cursa Ciências Sociais, também prestou solidariedade à família de Mateus e convocou amigos, colegas e familiares para uma paralisação das aula em atenção ao estudante.

Na internet, a hashtag #ForçaMateus também tem sido usada como forma de apoio ao estudante de 33 anos, que sofreu traumatismo craniano. Nesta segunda, Mateus recebeu hemodiálise, e já tinha passado por uma cirurgia de mais de quatro horas. As informações são do jornal Extra. (Correio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário