segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Bancada capixaba se cala, e PM-ES recebe apoio de parlamentares de outros estados

A maioria dos deputados federais, estaduais e senadores capixabas praticamente estão ignorando as péssimas condições de trabalho e salariais dos militares. Para manter sua base política, preferem continuar submissos a Hartung.

Diante a tanta omissão, parlamentares de outros estados estão se pronunciando favoráveis aos militares e à sociedade, criticando duramente Hartung que deixou chegar a esse caos, e desmascarando a imagem de bom gestor do governador.

Na última quarta-feira (08), cerca de 2,6 mil policiais federais, rodoviários, legislativos e civis, além de guardas municipais e agentes penitenciários, de todo o país, participaram de um protesto contra a falta de valorização das PM’s estaduais. Na ocasião, deram amplo destaque e apoio aos colegas do Espírito Santo.

Para o presidente da Ordem dos Policiais do Brasil (OPB), Frederico França, o que acontece no Espírito Santo é uma “eclosão daquilo que já acontece no Brasil todo” por conta da falta de investimentos no setor. “O sistema de segurança pública está falido. Precisa de investimentos pra ser realmente eficiente no serviço. Precisa investir no sistema e na qualificação do profissional”, disse.

Entre os parlamentares que tem apoiado a valorização dos militares, está o deputado federal por São Paulo, Capitão Augusto, que criticou duramente o governador Hartung. (Clique aqui e escute o áudio) “esse governador jamais deveria ter apoio popular, é um ditador, não dialoga, deixou os policiais militares à mingua nas questões salariais….na terça-feira (14) estarei encaminhando o projeto prevendo anistia de todos os policiais militares que estão neste movimento no Espírito Santo”.

Enquanto isso, os parlamentares capixabas ignoram as necessidades dos militares e também os reflexos que uma PM sem condições de trabalho e salários causam junto à sociedade. E Hartung se vitimiza dizendo que os militares estão sequestrando a sociedade e o secretário ainda chama o movimento de palhaçada. Esses são os nossos representantes? Afinal, gerir não é apenas fechar o caixa para investimentos sociais.

É preciso que os capixabas nas próximas eleições faça uma limpeza na Assembleia Legislativa e Congresso Nacional eliminando os fantoches do executivo e garantindo que sejam eleitos parlamentares que efetivamente atendam aos interesses do povo. (ASCOM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário