sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Falsário “Júnior do Detran” volta a ser presos com CRLVs de diversos estados em Teixeira de Freitas

Nesta última quarta-feira, dia 25 de janeiro, policiais militares do Pelotão de Emprego Tático Operacional (PETO), da 87ª Companhia Independente de Teixeira de Freitas (CIPM), realizavam rondas na Avenida Presidente Getúlio Vargas, sendo da cidade quando, próximo à Ciretran, abordaram um veículo Volkswagen Gol, de cor branca, placa policial JMI-4713. O veículo era conduzido por um indivíduo bastante conhecido das polícias dos estados da Bahia e Espírito Santo.

Trata-se de Maury Ferreira de Carvalho Júnior, o “Junior do Detran”, que possui diversas passagens pela por estelionato, adulteração de documentos, formação de quadrilha e diversos outros crimes. Ele é ex-servidor do Departamento de Trânsito da Bahia (DETRAN) e vem sendo considerado especialista na arte de falsificar e adulterar documentos de veículos.

Durante a abordagem, os militares encontraram no interior do veículo vários comprovantes de transferências bancárias, cédulas de RG em branco, procurações, uma cédula de CNH em branco do estado da Bahia, cédulas em branco de CRLV’s do Detran de São Paulo, Santa Catarina, Minas Gerais e Espírito Santo, cheques em branco e preenchidos e a quantia de R$ 225,00 em espécie.

Além do material citado, os militares encontraram ainda, documentos com anotações de valores a receber, documentos de um veículo Ford/Fiesta, cinza, placa policial JQJ 1829, cartões e dois aparelhos celulares. Maury recebeu voz de prisão e foi conduzido à sede da 8ª COORPIN, onde o caso foi registrado e apresentado ao delegado Ricardo Amaral, de plantão na unidade.

Com base nos depoimentos colhidos e nas provas apresentadas o delegado flagranteou Maury Ferreira, o “Júnior do Detran”, por receptação, conforme o Artigo 180 do Código Penal Brasileiro (CPB), já que os documentos oriundos de outros estados aparentemente são furtados ou roubados.

Devido ao crime, que pode fazer parte de uma rede de falsificação interestadual, e pelo histórico criminoso do acusado o delegado arbitrou fiança de 30 salários mínimos, ou seja, R$ 28 mil e pediu a prisão preventiva do acusado, que foi conduzido à carceragem da 8ª COORPIN. Se a fiança for paga, o mesmo irá responder pelo crime em liberdade. O acusado segue preso à disposição da Justiça. (Da redação TN)

Nenhum comentário:

Postar um comentário