terça-feira, 22 de novembro de 2016

Vídeo: Polícia Civil promove exumação do cadáver do bebê que teria sido morto com participação dos pais em Prado

A Polícia Civil da Bahia através do Instituto Médico Legal promoveu no final da manhã desta terça-feira (22/11), a exumação do cadáver do garotinho Pedro Silva Carneiro, de 9 meses de idade, que estava sepultado no Cemitério São Cosme e São Damião, na cidade de Itamaraju, terra da sua família materna. Ele foi morto no final da tarde de sábado do último dia 29 de outubro, numa estrada litorânea entre a Praia da Paixão e a cidade do Prado, no litoral norte daquele município, supostamente após ter caído do banco traseiro da caminhonete dos pais.

Mas em razão das contradições detectadas nas oitivas dos pais de criança, o histórico de violência do casal em desfavor do bebê e o resultado do laudo médico legal que desmentiu a versão de queda, fez com que a Polícia Civil imputasse a culpa aos pais e passou a investigar ocorrido para tentar esclarecer a verdadeira causa morte do bebê e a participação dos pais.


Após a exumação realizada pela equipe do Departamento de Polícia Técnica, a perícia médica foi presidida pelo perito médico legal Welson Jorge Nascimento, do Departamento de Polícia Técnica da Bahia. O perito médico revisor Welson Nascimento disse apenas que vai trabalhar para entregar o laudo conclusivo para o delegado presidente do caso, no mais curto prazo de tempo possível.

Conforme o titular da Polícia Civil do município de Prado, delegado Júlio César Telles o seu objetivo com a nova perícia no cadáver do bebê foi buscar confrontar o novo resultado com o resultado do laudo da necropsia do IML de Teixeira de Freitas, com a finalidade de materializar as circunstâncias e esclarecer as dúvidas existentes.

O delegado Júlio Telles informou ainda que já requisitou ao perito criminal Paulo Libório, coordenador regional da Polícia Técnica em Teixeira de Freitas, a realização de uma sessão de reprodução simulada no local onde os pais alegam que a criança tenha caído do veículo, cuja reconstituição pode acontecer ainda neste mês de novembro.

Os pais da vítima, o representante comercial Jorge Mendes Carneiro Junior, 41 anos e a sua esposa Erisângela Santos Silva, 38 anos, estão presos desde a tarde de quarta-feira do último dia 9 de novembro na sede da 8ª Coordenadoria Regional da Polícia Civil em Teixeira de Freitas, por força de um mandado de prisão temporária decretado pelo juiz Leonardo Santos Vieira Coelho, da comarca de Prado, que atendeu uma representação do delegado Júlio César Teles, presidente do inquérito policial que apura a morte do bebê Pedro Silva Carneiro, de 9 meses de idade. 
(Por Athylla Borborema/imagens de Lênio Cidreira).

Nenhum comentário:

Postar um comentário