terça-feira, 8 de novembro de 2016

Teixeira de Freitas é a 66ª cidade mais violenta do país; Mata de São João é campeã de HAF

O Mapa da Violência compõe uma série de estudos e nesse ano de 2016, revelam dados perversos e preocupantes. Dentre eles, podemos citar o crescimento da violência contra negros. Entre 2003 e 2014, as taxas de homicídios por armas de fogos de brancos caem 27,1%, de 14,5, em 2003, para 10,6, em 2014; enquanto a taxa de homicídios de negros aumenta 9,9%: de 24,9 para 27,4.

De 1980 até 2014 morreram no Brasil 967.851 vítimas de disparo de arma de fogo. Desse total 830.420 (85,8%) foram homicídios. Entre 1980 e 2003, o crescimento dos homicídios por armas de fogo (HAF) foi sistemático e constante, com um ritmo enormemente acelerado: 8,1% ao ano. A partir do pico de 36,1 mil mortes, em 2003, os números, num primeiro momento, caíram para aproximadamente 34 mil e, depois de 2008, ficam oscilando em torno das 36 mil mortes anuais, para acelerar novamente a partir de 2012. Assim, no último ano com dados disponíveis, temos um volume de 42,3 mil HAF. O Estatuto e a Campanha do Desarmamento, iniciados em 2004, constituem-se em um dos fatores determinantes na explicação dessa quebra de ritmo, segundo o estudo.

Homicídios por armas de fogo nos municípios baianos


O município baiano de Mata de São João lidera o ranking de cidades com maior número de homicídios por arma de fogo (HAF) por 100 mil habitantes, segundo o Mapa da Violência 2016, estudo realizado pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso). O município, localizado na região metropolitana de Salvador, apresentou uma taxa média de 102,9 homicídios por 100 mil habitantes entre os anos de 2012 e 2014, período considerado pelo estudo.

Entre as dez cidades com o maior índice de HAF, estão ainda Simões Filho, em 8º, com média de 91,4 mortes por arma de fogo por grupo de 100 mil habitantes; Pojuca (9º), com 87,3 assassinatos; e Lauro de Freitas (10º), com 85,9.

Na lista das dez cidades mais violentas, há apenas municípios nordestinos. Entre as 150 cidades com a maior taxa, a Bahia volta a aparecer: Itabuna (13º), Porto Seguro (14º), Santa Cruz Cabrália (24º), Eunápolis (30º), Valença (35º), Camaçari (37ª), Itaparica (46º), Itabela (51º), Alagoinhas (53º), Ilhéus (61º), Teixeira de Freitas (66º), Dias D’Ávila (67º), Entre Rios (70º), Ibirapitanga (77º), Itapebi (82º), São Sebastião do Passé (83º), Esplanada (98º), Candeias (99º), Vera Cruz (104º), Canavieiras (105º), Irecê (113º), Jequié (120º), Ituberá (130º), Alcobaça (135º), Vitória da Conquista (145º) e Salvador, no 150º lugar do ranking, com média de 44 mortes por arma de fogo a cada 100 mil habitantes. 
 (Da redação TN)

Nenhum comentário:

Postar um comentário