quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Prisão dos pais de criança que morreu após supostamente cair de caminhonete repercute em nível estadual


Os mais diversos veículos de comunicação repercutiram a prisão de Jorge Mendes Carneiro Junior, de 41 anos e Erisângela Santos Silva, 38, pais do pequeno Pedro Silva Carneiro, de apenas 9 meses de idade, que morreu na tarde de sábado do último dia 29 de outubro, após supostamente cair do banco traseiro de uma caminhonete Toyota Hilux, numa estrada vicinal que liga o Prado à Praia da Paixão, no litoral norte do município.

Até a manhã desta quinta-feira, dia 10, a reportagem continuava ocupando espaço de destaque no site G1, que pertence à Rede Globo. O vídeo do caso também vem notícia estadual nos programas da Rede Bahia.

Na época da ocorrência, no final do mês de outubro, os pais do bebê relataram que ele havia caído do carro em movimento, mas conforme o delegado que investiga o caso, Júlio César Telles, a versão do casal está contraditória com os fatos e a suspeita é de que a criança foi vítima de agressão.

Em entrevista ao G1, o delegado Júlio Telles afirmou: “As investigações apontam que a versão que eles apresentam é mentira. Além de terem entrado em contradição por fatos relevantes, elementos pertinentes ao veículo não teriam acontecido da forma que eles narraram. Há histórico de violência. A médica perita foi ouvida e disse que a criança foi vítima de uma agressão. Não há escoriações de queda. A prisão visa facilitar as investigações. Inicialmente eles ficarão presos por 30 dias”, explicou.
(Da redação TN / Vídeo: G1 BA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário