terça-feira, 6 de setembro de 2016

Belo Horizonte é recordista nacional em número de candidatos à Câmara de Vereadores

Não só na disputa pela prefeitura de Belo Horizonte-MG., possui um grande número de aspirantes, mas também na disputa pelas 41 cadeiras da Câmara de Vereadores, onde nada menos que 1.435 postulantes disputam o voto dos eleitores. O número é maior que os candidatos ao Legislativo de São Paulo, maior cidade do país, que tem 1.288 concorrentes, para 55 vagas.

Caso fosse uma cidade, “Vereadopólis” teria uma população maior que as três menores cidades de Minas Gerais, superando Grupiara, no Triângulo Mineiro, com 1.416 moradores; Cedro do Abaeté, na região central do Estado, com 1.218; e Serra da Saudade, também na região central, com 818.

Se nesse município imaginário os candidatos de um mesmo partido morassem nas mesmas ruas, a maior rua da cidade seria a do PPS, com 64 moradores, seguida pela rua PT do B, com 63 e Democratas, PEN, PMN, PP, PTB, PTN e PV com 62 pessoas em cada uma delas.

Entretanto, para a cientista política Karina Junqueira Barbosa, o número de concorrente não representa uma maior variedade para a escolha do eleitor. Para a especialista, o número de candidatos é uma consequência de uma falha do modelo político adotado nas eleições municipais.

“No Brasil as pessoas votam no candidato, é um voto praticamente nominal. A questão ideológica passa muito longe. Se escolhe aquele candidato que é da rua, um vizinho ou com quem existe alguma relação de proximidade”, explica.

Ela aponta como necessário ter um maior contato com as propostas dos candidatos, o que não ocorre com a forma com que são feitas as campanhas eleitorais atualmente. Junqueira também avalia que os partidos lançam um grande número de nomes para tentar trazer mais votos para o quociente partidário e assim eleger nomes chaves previamente escolhidos pelas siglas e não aqueles que receberam parte dos votos. (Informações: O Tempo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário