segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Polícia tenta recapturar estuprador das duas filhas gêmeas em Teixeira de Freitas

Uma ação conjunta das polícias Civil e Militar tentou recapturar neste domingo (31/07), na zona rural do município de Itanhém, numa operação sem êxito, um foragido da justiça que estava preso desde o 1º de janeiro deste ano. Ele foi preso na ocasião depois de ter sido flagranteado por crime de estupro de vulnerável com agravante, porque vinha violentando sexualmente há quase três anos as suas próprias filhas biológicas menores de idade. Ele foi preso após ter sido “filmado” estuprando as suas duas filhas gêmeas de 14 anos, no interior da própria casa da família no bairro Castelinho, em Teixeira de Freitas.

Preso preventivamente por crime de estupro das suas próprias filhas gêmeas, o pedreiro Marcos da Silva Santos, 41 anos, fugiu do presídio do Conjunto Penal de Teixeira de Freitas, na quinta-feira do último dia 21 de julho, na companhia de um outro detento, quando aproveitaram a oportunidade que trabalhavam em um serviço laborativo na área externa da penitenciaria e escalaram a tela e pularam pelo lado de fora da unidade prisional.

Conforme o tenente-coronel Osíris Cardoso, diretor geral do Conjunto Penal de Teixeira de Freitas, o interno fugiu acompanhado de um outro detento, que respondia por tráfico de drogas e homicídio. Ambos conseguiram escapar da unidade, enquanto trabalhavam na manutenção da horta do Conjunto Penal, quando eles driblaram a vigilância, escalaram a cerca de tela e pularam pelo lado de fora da área da penitenciária.

O pedreiro Marcos da Silva Santos, 41 anos, foi preso na tarde do dia 1º de janeiro de 2016, no bairro Vila Vargas. Logo depois que uma prima das suas filhas, a denunciou na Polícia Civil. Ele vinha abusando sexualmente das suas filhas menores de idade. Filhas biológicas e gêmeas, com 14 anos de idade. Conforme as garotas, a quase três anos o pai as estuprava diante de fortes ameaças, quando ele começou utilizando os dedos para violentá-las, até que partiu para penetração e nunca mais parou.
No seu depoimento por ocasião da sua prisão, o pedreiro admitiu a delegada Waldiza Fernandes, do plantão de “ano novo” na 8ª Coordenadoria Regional da Polícia Civil de Teixeira de Freitas, que realmente abusava sexualmente das filhas e chegou a dizer que não sabia que “chupar os seios das filhas era crime”. Os exames médicos do Departamento de Polícia Técnica comprovaram que as meninas tinham hímens rompidos e cicatrizados.

Ainda alegou que promovia os atos contra as crianças com o consentimento da mãe. No entanto, a Polícia Civil descobriu que a mãe das meninas era tão vítima do estuprador, quanto as filhas, que viviam sob ameaça do criminoso. Ele as intimidava diariamente prometendo cortar a cabeça das vítimas e da mãe, caso elas contassem para alguém sobre os abusos sofridos..

Até que no dia da sua prisão, enquanto o pai abusava sexualmente de uma das filhas, a outra se escondeu estrategicamente e gravou um vídeo com o celular emprestado pela vizinha. Assim que ele saiu de casa no bairro Castelinho, elas mostraram o vídeo para a vizinha e para uma prima que logo decidiram levar a gravação para a Polícia Civil. E com ajuda da Polícia Militar o homem foi localizado e preso, embora, tenha conseguido fugir 6 meses depois, do presídio do Conjunto Penal de Teixeira de Freitas e agora passou a ser foragido da justiça e procurado pela polícia. (Por Athylla Borborema)

Nenhum comentário:

Postar um comentário