terça-feira, 23 de agosto de 2016

Macabro: Delegada diz que mãe matou bebê no vaso sanitário e cortou o corpo com um facão

Em entrevista na tarde desta terça-feira, dia 23 de agosto, a delegada Valéria Fonseca Chaves, titular da 23ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin), com sede em Eunápolis, mas que também possui base circunscricional em Porto Seguro, contou que a a babá Renata Cerqueira, de 20 anos, admitiu que afogou o filho Nathan Vitor Cerqueira, de dois meses e meio de idade, em um vaso sanitário e em seguida usou um facão para cortar a criança em três pedaços.

“Ela escondeu dois pedaços em uma panela de pressão e a cabeça ela colocou em um saco plástico e deixou em cima do guarda-roupas”, disse a delegada. O crime foi cometido na tarde deste último sábado, dia 20 de agosto. A assassina foi presa na tarde desta segunda-feira (22), logo após retornar de uma passeata que pedia a devolução do menino, até aquele momento sequestrado. Quando chegava em casa os restos mortais do bebê foram localizados e Renata acabou presa em flagrante.

Ainda segundo a delegada Valéria Fonseca Chaves, em depoimento, Renata contou que matou o filho porque estava com descontrole emocional e sem condições de criá-lo. Segundo ela, o pai da criança, que também mora em Porto Seguro, se separou dela quando descobriu a gravidez e que não estaria dando nenhum tipo de apoio. “Ela disse que toda a situação a deixou muito nervosa, por isso ela resolveu tirar a vida da criança. Mas em momento nenhum ela demonstrou arrependimento”, disse a delegada Valéria Fonseca.

A homicida Renata Cerqueira, de 20 anos, já havia sido indiciada por ocultação de cadáver pelo delegado Delmar Bitencourt, titular da 1ª Delegacia Territorial de Porto Seguro (DT) e agora com a nova confissão, ainda vai responder por homicídio, com pena que deve ser agravada devido ao motivo fútil e tendo como vítima uma bebê indefeso a quem ela deveria cuidar e proteger.

Por questão de segurança a mulher permanece presa em Eunápolis à disposição da Justiça de Porto Seguro. (Por Ronildo Brito)

Nenhum comentário:

Postar um comentário