quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Edilson cai de andaime e dias depois morre no HMTF

Lajedão: Nossa equipe ficou sabendo do caso do pedreiro Edilson Pereira dos Santos, 46 anos de idade, na tarde desta terça, 02 de agosto, quando sua esposa e os 3 filhos foram visitá-lo no Hospital Municipal de Teixeira de Freitas. Ao abordar nossa equipe, Tereza desabafou contado o que aconteceu com o seu esposo. Segundo ela, seu marido teria caído de uma mesa na quinta-feira, 28 de julho enquanto trabalhava como pedreiro para o irmão, e na sexta-feira (29), começou a sentir febre e dores, mas, só no sábado foi encaminhado para o HMTF.

Nossa equipe buscou dados do estado de saúde no hospital e fomos informados que o caso do paciente era grave, já que chegou com o intestino furado, e teve que passar por uma cirurgia urgente e estava entubado na UTI. No final da tarde desta terça-feira, nossa equipe foi informada de que o Edilson não resistiu e veio a óbito. Por telefone, conversamos com seu filho Deilson, que nos contou mais detalhes do acidente envolvendo seu pai. Segundo o filho, ele ficou sabendo que o pai estava trabalhando na casa do tio, e usando um andaime apoiado por duas mesas.

“Eles estava em cima do andaime, e quando percebeu que iria cair, pulou. Aparentemente ele não teve nada, porém, na sexta-feira ele reclamou que estaria com febre. No sábado, arruinou, então, chamamos o SAMU, e ele foi levado para o Hospital de Medeiros Neto. Naquela unidade, ele piorou e foi encaminhado para o HMTF. No sábado à noite, e logo que chegou, passou por cirurgia. Em seguida, para UTI”, disse o filho.

Ainda na tarde desta terça-feira (02), Edilson deu a primeira parada cardíaca. Chegaram reanimá-lo, porém, na segunda parada não resistiu, e veio a óbito. Como a morte foi consequência de um acidente, o corpo foi encaminhado para o DPT, passará pelos exames de praxe, e depois das 09h00 desta quarta-feira, será liberado para o velório, que irá acontecer em sua residência, na Rua Cosme Sampaio, conhecida como Rua do asfalto.

Uma comoção tomou conta da cidade de Lajedão, já que Edilson era um pedreiro que prestava serviço a todos, e era muito querido. “Era meu vizinho, meu pedreiro, sempre que precisava de algum reparo em casa eu o chamava, pessoa maravilhosa, estamos de luto”, postou nas redes sociais, uma moradora. (Por: Mirian Ferreira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário