quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Campineira solicita prorrogação de licença e Luiz Mário continua prefeito de Itamaraju

O atual vice-prefeito do município de Itamaraju, Luiz Mário da Silva Lima (PSD), assume pela 4ª vez nesta próxima sexta-feira (02/09), o comando da administração municipal por mais um período de 30 dias. O prefeito Manoel Pedro Rodrigues Soares, o “Pedro da Campineira” (PSD)), havia repassado o comando do município para Luiz Mário no início da tarde de segunda-feira do último dia 1º de agosto e na manhã do dia 2 de agosto, o vice-prefeito, que é pré-candidato a prefeito nas eleições deste ano (2016) voltou a assumir o comando do município.

Nesta terça-feira (30/08), dois dias antes de vencer a licença em vigor, o prefeito Pedro da Campineira encaminhou a Câmara Municipal o pedido de uma nova licença do cargo por mais 30 dias. Agora será a 4ª vez que Luiz Mário assume interinamente a administração municipal pela ausência do prefeito Pedro da Campineira por questões de saúde. No novo pedido de licença do cargo de prefeito, entregue a Câmara Municipal, Pedro da Campineira pede a prorrogação da sua licença e anexou um calhamaço de laudos médicos para justificar a necessidade da sua ausência por mais 30 dias.

Motivo

Entre junho e julho de 2014, Campineira já havia se licenciado por 21 dias para se recuperar de um procedimento cirúrgico no coração em que foi submetido em Belo Horizonte, quando na época o seu vice-prefeito Luiz Mário tocou o município em seu lugar. Neste último mês junho, o vice-prefeito Luiz Mário voltou a comandar o município por 30 dias, porque o prefeito Pedro da Campineira, de 68 anos, passou por outro procedimento cirúrgico inesperado para remoção de uma neoplasia nos tecidos baixos, bem mais complicado e mais doloroso.

Por ocasião que os médicos lhe determinaram que tirasse uma licença bem maior para melhor se recuperar durante o tratamento após a cirurgia em que foi submetido em Teixeira de Freitas para retirada de uma proliferação celular anormal no intestino grosso. Mas a falta do repouso criterioso que fora lhe recomendado não foi seguido a risca, tanto que no último dia 1º de agosto ele foi obrigado a deixar a cidade as pressas após cumprir uma maratona de eventos políticos. Época que se licenciou por 30 dias e agora solicitou a prorrogação da licença por mais 30 dias enquanto se recupera do seu quadro de saúde. 
(Por Athylla Borborema).

Nenhum comentário:

Postar um comentário