quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Vaqueiro é abatido com tiro de espingarda quando chegava pra tirar o leite no interior de Itamaraju

Vaqueiro é abatido com tiro de espingarda quando chegava pra tirar o leite no interior de Itamaraju 
O homicídio, com característica de execução, aconteceu na madrugada desta quarta-feira, dia 31 de dezembro, por volta das 4h, numa propriedade rural distante cerca de três quilômetros do povoado de São Paulinho, interior do município de Itamaraju e a vítima foi o vaqueiro Francisco Timóteo Matos, de 37 anos, atingido por um disparo de arma de fogo no tórax, possivelmente de espingarda cartucheira. Segundo uma testemunha ouvida pela polícia, “Dé”, como era mais conhecido, tinha acabado de chegar ao curral para tirar o leite e como fazia diariamente, foi a um pequeno cômodo para pegar os utensílios, como baldes e cordas, momento que um elemento desconhecido aproximou-se dele e efetuou o disparo à queima roupa. Na sequência o assassino teria fugido a pé. Pelo fato de o local do crime ficar quase 60 quilômetros de distância da cidade de Itamaraju, com trechos de estradas de difícil tráfego, a polícia e o Departamento de Polícia Técnica (DPT), só conseguiram chegar ao lugar no final da manhã. O levantamento cadavérico foi realizado pelo agente Paulo Roberto e na sequência o corpo acabou sendo removido pelo auxiliar de necropsia Anderson Barbosa ao Instituto Médico Legal Nina Rodrigues de Itamaraju (IML) para exames de necropsia. Autoria e motivação do homicídio continuam desconhecidas, fatos que podem ser esclarecidos no decorrer do inquérito policial já instaurado pela delegada Dilma Maria França, titular da Polícia Civil de Itamaraju. 
(Por Ronildo Brito)

CIPE persegue e recupera carro tomado de assalto em Prado

Uma operação conjunta das Polícias CIPE - Cia Independente de Policiamento Especializado e Militar do 3º Pelotão culminou na recuperação, de um veículo Fiat Siena, cor vinho, placa HOE -5024 de Uberlândia-MG, que havia sido tomado de assalto na madrugada desta quarta-feira (31), por dois indivíduos armados, na praia da Amendoeiras na cidade de Prado.
DSC_0489
Durante o assalto, os dois assaltantes levaram os pertences do grupo de turistas que faziam um luau na praia. Segundo informações uma das vitimas conseguiu esconder o celular e após o assalto efetuou uma ligação para o número 190 (Emergência), a partir daí, se iniciou uma buscar pela cidade.
DSC_0475
Os Policiais da CIPE conseguiram localizar o veículo. Após uma intensa perseguição, o condutor acabou perdendo o controle da direção, e o carro teve uma saída de pista, parando em um matagal próximo a comunidade da Pontinha, no município de Prado.
IMG-20141231-WA0002
Os autores saíram rapidamente do veículo, deixando para trás, duas armas calibre 38, e parte do dinheiro e objetos roubado. Os autores se embrenharam no mato alto, conseguindo escapar. Policiais da CIPE realizaram rastreamento, mas a escuridão ajudou os meliantes escaparem pela mata.
Por Claydson Motta

Polícia Militar recupera carro roubado de empresário vítima de sequestro relâmpago em Corumbau

Um empresário foi vítima de sequestro-relâmpago e teve o carro roubado na noite desta terça-feira (30) em Corumbau, no município de Prado. De acordo com a Polícia Militar, o homem foi liberado pelos assaltantes numa estrada deserta.
IMG-20141231-WA0014
O homem seguia na comunidade de Corumbau quando dois homens armados o renderam e fizeram refém dentro do próprio carro, uma Hilux prata, com placas FKZ-9784, licenciado em Santana de Paraíba-SP.
Uma operação conjunta das Polícias Militar do 3º Pelotão de Prado e  CIPE - Cia Independente de Policiamento Especializado, montaram uma emboscada na madrugada desta quarta-feira(31), os bandidos ao avistarem o aparato policial abandonaram o carro roubado e fugiram correndo pelo matagal.
IMG-20141231-WA0017
A polícia chegou a realizar buscas pela região, mas a escuridão ajudou os assaltantes escaparem pela mata. O veículo foi recuperado, assim como os abjetos roubados e encontra-se no pátio da polícia militar de Prado.
Por Claydson Motta

I M P E R D I V É L - 20ª Noite do Regaço - Abadas já estão disponíveis nas lojas credenciadas.


 
 
Pontos de Vendas 
 
PRADO

O Boticário – Artesanato Flor de Liz -  Vivera Boutique
 
ITAMARAJU

Casa & Cia - Ice Bee – O Boticário – Paulo Cabeleireiro – Central dos Retalhos Rita de Cássia
 
TEIXEIRA DE FREITAS

Farmácia Real -  Marcelo Sucupira
 
ALCOBAÇA


Oficina do Açaí – Bridi Supermercado e Mercado Peixol

I M P E R D I V É L - 20ª Noite do Regaço - Abadas já estão disponíveis nas lojas credenciadas.

"Farofa na praia não pode mais", diz nova propaganda da prefeitura de "Guaraparis"

Apesar do pedido do prefeito para a retirada da "peça publicitária", a propaganda foi atualizada e ganhou até jingle original.

 

Após as polêmicas declarações do prefeito de Guarapari, Orly Gomes, sobre a qualificação do turista que frequenta o balneário durante o verão, o acontecimento virou piada na internet, como uma falsa propaganda da prefeitura, amplamente divulgada nas redes sociais.
 
 ASSISTA O VÍDEO:

Apesar do pedido do prefeito para a retirada da "peça publicitária", a propaganda foi atualizada e ganhou até jingle original. A letra da música, acompanhada de imagens de turistas populares no vídeo publicado por um site mineiro, fala sobre costumes corriqueiros de veranistas, como "farofa na praia" e "beliche na quitinete". 
 
As declarações do prefeito foram feitas em entrevista à Rádio CBN Vitória, no último dia 16 de dezembro. Muitos moradores e comerciantes concordaram com as opiniões do prefeito mas, por outro lado, tais declarações caíram como bomba na imprensa de Minas Gerais. Guarapari é um dos principais destinos dos mineiros durante o verão.


Na entrevista, Orly Gomes defendeu o turismo qualificado, com maior poder aquisitivo na cidade. Para atrair turistas com alto poder de consumo, medidas serão adotadas como a cobrança de taxa para ônibus de turismo, limitação de pessoas em casas de veraneio, bem como cobrança de impostos.
Fonte: Da Redação Multimídia

Rui Costa confirma privatização da Cesta do Povo, única rede pública de supermercados do Brasil

“Não é capaz de concorrer às redes privadas de supermercado”, disse


Foto: Varela Notícias 
Uma notícia que já era comentada há muito tempo na política baiana e chegou a ser afirmada pelo então governador Jaques Wagner, ganhou contornos finais nos últimos dias. Rui Costa (PT) decidiu por privatizar a única rede pública de supermercados do país, a Cesta do Povo.
“Não é capaz de concorrer às redes privadas de supermercado. As grandes do setor tem agilidade na hora de negociar e definir preços, muito diferente de uma empresa pública”, disse em entrevista ao jornal “Folha de São Paulo” o governador eleito, que toma posse no próximo dia 1º.
A Cesta do Povo é a segunda maior rede de supermercados da Bahia, mas não consegue se manter. Ela recebeu em 2014 subsídios de R$ 15 milhões do governo da Bahia, sendo que em anos anteriores esse valor já atingiu a marca de R$ 60 milhões anualmente.
Somente 20% das lojas são rentáveis, segundo estudo recente, que apontam ainda que para fechar no azul, muitas das 285 lojas espalhadas por toda a Bahia terão que fechar as portas.

2014, um ano difícil para a Liberdade de expressão

 
E termina 2014. Um ano bastante difícil para a liberdade de expressão. Ano passado, ao escrever a retrospectiva 2013, já previa essa realidade para a área de comunicação no Brasil, especialmente por conta das eleições, mas não imaginava as inúmeras violações democráticas que nos aguardava.
Tivemos inúmeros vilões neste ano, mas sem dúvida alguma o Estado foi quem mais cometeu ilegalidades contra a palavra, a expressão e o direito que tem a impressa de exercer o que lhe foi garantido pela constituição.
Não podemos esquecer que, para o exercício da liberdade de expressão, o Brasil acolheu a teoria libertária, que pressupõe a não intervenção estatal na produção de conteúdo jornalístico, ou seja, é defeso ao Estado ditar o que deve e o que não deve ser dito pelos veículos de comunicação.
No entanto, o ano de 2014 foi bastante pródigo nas intervenções estatais, seja pela atuação política dos governos, seja ainda pela compreensão equivocada que a Justiça brasileira tem feito do exercício jornalístico desenvolvido pelos veículos de comunicação, especialmente em períodos de eleição.
Não obstante uma disputa eleitoral que há muito o Brasil não presenciava, a imprensa teve contra si toda sorte de violação. Primeiro pelo fato de a Justiça eleitoral brasileira ainda defender que material jornalístico constitui propaganda eleitoral e, por conta disso, determinar a edição de texto, a retirada de circulação ou veiculação de conteúdo ou mesmo determinar a publicação de resposta para texto jornalístico absolutamente crítico ou revelador de fatos de interesse da sociedade. Assistimos a isso atônitos no período eleitoral. Alguns dos mais renomados veículos de comunicação do Brasil tiveram contra si decisões que determinavam edições e retiradas de texto, bem como a imediata publicação de resposta, sob o argumento de que constituíam propaganda eleitoral.
Além de conteúdo jornalístico nem mesmo se assemelhar a propaganda eleitoral, impossível de essa Justiça Especializada, que necessariamente emprega um procedimento célere, sem a possibilidade de uma fase instrutória, avaliar se um material jornalístico falseia a verdade e, a partir daí, condenar como propaganda todo trabalho de campo e de redação jornalísticos.
Também a merecer destaque negativo em 2014, tivemos o entendimento do Tribunal Superior Eleitoral que impediu a publicidade de importante revista nacional, simplesmente pelo fato de esse periódico ter estampado na capa a imagem de um candidato que era objeto de reportagem pertinente, confundindo mais uma vez propaganda com material jornalístico; publicidade de um produto com publicidade eleitoral.
O ano foi marcado, mais uma vez, pelas liminares contra a liberdade de expressão. E não foram poucas. Para não citar todas, lembremos de que esta revista eletrônica foi objeto de uma canetada contra esse valor constitucional (4ª Vara Cível de Santana, São Paulo, processo nº 0007919.86.2013.8.26.00010). Ao comentar que havia uma disputa judicial que estava a impedir a apresentação da peça Edifício London, uma ficção que tinha como estímulo inicial o crime cometido contra a criança Isabella, teve contra si o comando legal da censura, tendo sido obrigada a imediatamente retirar de veiculação a matéria jornalística que publicara.
Também outro ato de censura durante o ano de 2014 teve como alvo a publicação IstoÉ, que pouco antes do início das eleições veiculou material jornalístico a respeito da operação lava-jato e dos nomes que eram citados pelo delator Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras. A revista noticiou que o governador do Ceará, Cid Gomes, teria sido citado pelo delator em depoimento prestado nos autos da operação Lava-Jato. Isso foi o suficiente para que determinada juíza, em plantão judicial, determinasse o recolhimento imediato de todos os exemplares da revista IstoÉ, sem antes determinar que os autos estavam em segredo de justiça (2ª Vara Cível de Fortaleza, CE, processo nº 0785847-93.2014.8.06.0001).
Como esquecer que um dos brilhantes jogador de futebol nacional e internacional buscou censurar a revista Playboy simplesmente porque estava estampado na capa o nome Neymar, tendo sido acolhido seu pedido no juízo singular e logo reformado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (1058064-89.2014.8.26.0100, 3ª V. C. Central, SP).
Para terminar os exemplos de verdadeira censura contra a imprensa cometidos em 2014, citamos que tem sido recorrente decisões que determinam a alteração, a supressão ou mesmo o acréscimo de palavras, orações, frases a conteúdo jornalístico veiculado na mídia digital. Trata-se de verdadeira edição do conteúdo jornalístico, como se o Estado pudesse ser coautor de texto e escolhesse o assunto e a forma de sua apresentação. Isso é tão grave quanto a retirada de conteúdo impresso das bancas de jornais ou mesmo a retirada de material jornalístico da radiodifusão. A facilidade de alteração, de supressão e de acréscimos que a mídia digital proporciona em hipótese alguma modifica o direito constitucional de liberdade e o impedimento de intervenção do Estado. Se há erro no texto jornalístico digital, as tutelas jurídicas e seus procedimentos estão presentes para serem utilizados pelos que se sentirem atingidos, e nenhum dos provimentos jurisdicionais permite a edição pelo Estado de material jornalístico, como uma agência reguladora ou um órgão censor.
Em todos os casos acima, tivemos no Supremo Tribunal Federal a correção da direção do direito, com decisões que revelam a correta interpretação normativa a ser seguida em instância inferiores, constituindo profundos magistérios a respeito do valor democrático que é a liberdade de expressão, podendo ser citados dois excertos retirados de duas grandes decisões da Corte Suprema:
"As liberdades de expressão, informação e imprensa são pressupostos para o funcionamento dos regimes democráticos, que dependem da existência de um mercado de livre circulação de fatos, ideias e opiniões. Existe interesse público no seu exercício, independentemente da qualidade do conteúdo que esteja sendo veiculado” (Luís Roberto Barroso, RCL 18.638).
"Preocupa-me o fato de o exercício, por alguns juízes e tribunais, do poder geral de cautela tenha culminado por transformar-se em inadmissível instrumento de censura estatal, com grave comprometimento da liberdade de expressão. (...) o poder geral de cautela tende, hoje, perigosamente, a traduzir o novo nome da censura!” (Celso de Mello, RCL 18.836)
Mas como dito, o ano foi pródigo nas violações democráticas e, nos estertores de 2014, acabamos de presenciar outra violação à democracia do país. A justiça federal de São Paulo determinou a quebra do sigilo telefônico do jornalista Allan de Abreu e do Diário da Região, publicação da cidade de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. A determinação da quebra se deu pelo fato de o jornalista, em depoimento à procuradoria federal, não ter revelado o nome de suas fontes. Esqueceram, procuradores e juízes, que uma imprensa livre é condição imanente de um Estado Democrático e que uma imprensa livre tem como condição manter em segredo suas fontes. Não há liberdade de expressão sem a garantia, como valor fundamental de um Estado Democrático, de preservação das fontes. O que o Poder Judiciário Federal está a fazer é, não só ignorar a Constituição Federal brasileira, mas desconsiderar o Estado brasileiro como um Estado que optou em seu regime político pela democracia.
Também a radiodifusão, por força de uma má interpretação da lei eleitoral, acabou sendo tolhida em seu direito de criticar assunto de interesse e emitir opinião de interesse da sociedade, simplesmente pelo fato de estarmos num ano de eleição. Há um contrassenso de valores, pois quando mais a sociedade necessita de uma imprensa livre (escrita, digital e radiodifusão), mais caminhamos para um controle das palavras. No Paraná e na Bahia, por exemplo, a imprensa, em determinado momento, por determinação judicial, ficou impedida de abordar alguns assuntos que eram públicos inclusive.
Ora, seria de bom tom revisitar a legislação brasileira eleitoral e permitir a atividade de comunicação plena, sobretudo nesse período em que a sociedade clama por informação crítica. Tratamos os direitos constitucionais nesse período como se a nação passasse por um período de sítio, em que o Estado tem a permissão de sobrestar direitos fundamentais.
Ainda sobre esse assunto, vi com bons olhos as empresas de radiodifusão buscando inovar, dentro das possibilidades que a lei permite, os debates eleitorais entre os candidatos. A Rede Bandeirantes, a Globo e o SBT buscaram alternativas para tornar os debates mais dinâmicos. A Band em diversas praças buscou um confronto de ideias diretas entre os candidatos, permitindo que durante todo o debate fossem feitas perguntas entre os candidatos, bem como que pudesse haver alguns candidatos respondendo mais do que outros.
A Globo por sua vez inovou no palco e contribuiu para que candidatos estivessem efetivamente frente a frente quando, por exemplo, os que perguntavam e respondiam tinham de ocupar bancadas posicionadas uma para a outra. O SBT trouxe uma boa mudança nos horários de apresentação dos debates, talvez democratizando o acesso do público a esse momento jornalístico.
No campo legislativo há projetos que tiveram andamento no Congresso e cujo conteúdo interferirá sobremaneira na liberdade de expressão. O primeiro, tramitando nas casas legislativas há muito tempo, teve sua redação aprovada pela Comissão deConstituição e Justiça (CCJ) e aguarda votação no plenário desde abril de 2014. Trata-se do PL 6446/2013 – originalmente PL 141/2006 – que busca disciplinar o Direito de Resposta em material jornalístico divulgado por qualquer veículo de comunicação social. Em artigo próprio já tivemos a oportunidade de descer a detalhes desse instituto, inclusive trazendo o que é praticado nas democracias de outros países.
Para efeito dessa retrospectiva, fica o registro de que a boa intenção do Senador Aloysio Nunes em restringir a causa de pedir do direito de resposta aos fatos objetivos de uma matéria jornalística, ratificado pela Comissão de Comunicação Social do Congresso Nacional, exatamente igual ao que aqui por mim foi defendido em artigo publicado em 16.04.2013 (.http://www.conjur.com.br/2013-abr-16/alexandre-fidalgo-direito-resposta-busca-recomposicao-verdade), não teve aprovação no CCJ. O Congresso aprovou requerimento de tramitação urgentíssima na Câmara dos Deputados, aguardando, portanto, votação do plenário desta Casa.
Não cabe nesse espaço retornar ao debate, mas há de se fazer a advertência de que a amplitude que o projeto de lei confere ao direito de resposta, além de absolutamente incoerente, acaba por propiciar uma espécie de sufocamento dos debates públicos. O instituto do direito de resposta que tem por objetivo enriquecer o confronto de ideias, com o projeto acaba por restringi-lo, tornando-se mais um limitador da liberdade de expressão no país.
Outro projeto que tramita na Casa Legislativa e que também constitui em mais um freio à liberdade de expressão no Brasil é o de nº 7881/14, que torna obrigatória a remoção de links dos mecanismos de busca da internet que façam referência a dados irrelevantes ou defasados. Entraremos na discussão subjetiva do que é irrelevante e defasado, para aí censurarmos os veículos de comunicação social que cumpriram seu dever legal de noticiar fatos. O tempo, como já tive a oportunidade de escrever, não transforma o legal no ilegal, tampouco pode ser reescrito. A memória dos fatos, com todas as circunstâncias dele, deve ser preservada. Não é só o ambiente da internet que pereniza informações honoráveis e aviltantes.
A propósito do tema do direito ao esquecimento, o Supremo Tribunal Federal declarou a existência de repercussão geral no Recurso Extraordinário 833248, que discute a possibilidade de se impedir a divulgação de material jornalístico de fatos passados, bem como discutirá se cabe uma compensação material a título de dano moral na hipótese de considerar legal o direito ao esquecimento.
Por fim, na vontade de a cada ano se pretender ter uma imprensa mais previsível, fica o registro da existência de outro projeto, na verdade um desejo de projeto. Trata-se da ideia da Regulação de Mídia no Brasil, bandeira defendida pelo Governo Federal e, sobretudo, pela sigla partidária que ocupa o cargo. Segundo a presidente eleita, Dilma Rousseff, em seus discursos de campanha e imediatamente posterior à eleição, a ideia defendida é de regulamentar o artigo 220§ 5º, da CF, que veda a possibilidade de oligopólio e monopólio dos veículos de comunicação social. Também se discute a proibição de propriedade cruzada dos meios de comunicação (por exemplo, impedir que um mesmo grupo de comunicação explore mais de um serviço de comunicação no mesmo local).
Até o presente momento tem-se descartada a ideia de controle de conteúdo, mas em se tratando de inúmeras violações à liberdade de expressão cometidas pelo Estado, bem como do histórico recente das incontáveis tentavias de controle de conteúdo deste governo federal, não seria improvável que se buscasse, também dessa forma, cercear esse valor democrático.
A FNDC (Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação), entidade que congrega militantes por uma mudança na regulação do setor, formulou um projeto de lei de iniciativa popular e está a arrecadar assinaturas. Pelo que foi revelado no site da BBC, o projeto é flagrantemente inconstitucional.
Ainda sobre o assunto, mas já no campo do poder executivo, temos a notícia de que o sucessor de Paulo Bernardo no ministério das Comunicações acumulará também a pasta da Secretaria de Comunicação e terá como missão a regulamentação da "mídia” brasileira, ficando também com a atribuição de direcionamento das verbas publicitárias aos veículos de comunicação, evidentemente um artifício para, de alguma forma, tentar conter as críticas ao governo.
Parece-nos que o ano de 2014 nos revelou um apetite desmensurado de se controlar a palavra, o conteúdo jornalístico, na tentativa de manter os fatos de interesse da sociedade escondidos, a fim de que não ganhassem publicidade, permitindo-se assim manipular as informações oficiais de renda, de desmatamento, de crise hídrica, de crise energética, de desmandos, de corrupção, tal como em países vizinhos tem acontecido.
E nesse fim, de texto e de ano, face a tudo o que aconteceu em 2014 e as propostas declaradas do governo, fiquemos com o pensamento de Rui Barbosa como uma espécie de luz celestial a iluminar a perspectiva do ano de 2015:
Não há justiça sem imprensa. A publicidade é o princípio, que preserva a justiça de corromper-se. Todo o poder, que se oculta, perverte-se.
 (Por Alexandre Fidalgo)


Governo Federal acaba com bolsa integral no Prouni

O Ministério da Educação mudou as regras para o uso do Prouni e do Fies. A partir de agora, o estudante só pode obter bolsa parcial do Prouni, com complemento do financiamento do Fies, se for no mesmo curso de graduação e na mesma faculdade. A medida foi publicada nesta segunda-feira (29) no Diário Oficial da União.
Para se regularizar, o candidato pode encerrar o financiamento do Fies, caso opte pela bolsa do Prouni, ou, ainda, abrir mão da bolsa, se quiser contratar ou renovar o Fies.
Além disso, para conseguir um financiamento no Fies o estudante agora precisa de 450 pontos no Enem e não pode tirar zero na prova de redação.

Detento do semiaberto é preso com drogas em braço engessado na revista do CPTF

Teixeira de Freitas: Foi preso por agentes penitenciários do Conjunto Penal de Teixeira de Freitas (CPTF), por volta das 18h30, desta terça-feira, 30 de dezembro, um interno que está no regime semiaberto. O acusado foi identificado como sendo Neldison Viana Felício, que após revista, os agentes encontraram dentro do gesso, dois papelotes de “maconha”, pesando aproximadamente 55g (cinquenta e cinco) gramas de “maconha”.
Segundo o acusado, o braço dele está quebrado porque ele estava trabalhando, e em um acidente de trabalho, acabou quebrando o braço. O acusado foi conduzido para a delegacia e apresentado à delegada plantonista, Rina Andrade, que está investigado o caso. Ainda segundo o Neldison, ele está preso acusado de tráfico e que a droga encontrada era para o uso, pois segundo ele, é usuário.
Além da droga, foi encontrado um aparelho de celular. O caso segue investigado pela Polícia Civil.
(Por: Edvaldo Alves)

CAEMA deflagra Operação Réveillon na região Extremo Sul

Nova Viçosa: Foi iniciada às 16h00 desta terça-feira, 30 de dezembro, a Operação Réveillon em todo o Extremo Sul Baiano, pela Companhia Independente de Policiamento Especializado – Mata Atlântica – CAEMA. O conjunto de ações ostensivas e preventivas consiste em abordagens em pontos estratégicos da região.
O reforço de policiamento e intensificação da presença policial será feito em toda a região e o resultado esperado, além da redução dos índices criminais, é o aumento da segurança para as comunidades locais e aos milhares de turistas que frequentam o litoral baiano.
Equipes da CAEMA estarão de prontidão nas regiões litorâneas. Qualquer necessidade, denúncia, ligue 190.
(Ascom)

CAEMA e PRE recuperam veículo usado no assalto das Lojas Americanas e recupera objetos

Caravelas: Uma ação conjunta e rápida entre a CAEMA e a PRE (Polícia Rodoviária Federal) conseguiram localizar onde estava o trio que assaltou as Lojas Americanas, na manhã desta terça-feira, 30 de dezembro. Após a ação dos criminosos, o serviço de inteligência da CIPE/Mata Atlântica [CAEMA], começou a mapear os passos dos criminosos.
Os polícias localizaram em Juracitaba, Distrito de Caravelas, o carro usado na ação, um VW/Saveiro 1.6 CE, de cor vermelha, placa policial NZP 8458, licenciado em Itabuna/BA. Em seguida os polícias realizaram buscas, e conseguiram encontrar os aparelhos eletrônicos levados pelos criminosos. Foram recuperados aparelhos X Box, Taplets, CPU's, Celulares e baterias.
Os polícias seguem na operação a fim de recuperar o cofre que foi levado da loja. Os militares estão próximos de prender os envolvidos, que se embrenharam no mato. Nossa equipe segue acompanhado o caso. 
(Por: Rafael Vedra)

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Traficante é flagrado e diz obter R$ 700 com venda de droga por semana

Homem de 35 anos foi preso na madrugada desta terça em Porto Seguro.
Ele foi localizado em casa, no bairro de São Francisco.


Traficante da Bahia afirma tirar R$ 700 com venda de droga por semana (Foto: Divulgação/PC)
Traficante da Bahia afirma tirar R$ 700 com venda
de droga por semana (Foto: Divulgação/PC)
Um suspeito de tráfico de drogas de 35 anos foi preso na cidade de Porto Seguro, região sul da Bahia, na madrugada desta terça-feira (30).
Com Alcides Pinto Colares Neto, foi encontrado meio quilo de droga, dentre maconha, cocaína e crack, de acordo com a Polícia Civil. Em depoimento, o suspeito disse que conseguia R$ 700 semanalmente com a venda de drogas na região.
A prisão foi feita por investigadores da 2ª Delegacia Territorial (DT/Arraial D’Ajuda) no bairro de São Francisco. De acordo com a polícia, no local, foi localizada uma barra de maconha de 380 gramas, além 24 porções de maconha de 100 gramas, 238 pedras de crack, 142 papelotes de cocaína e três munições calibre 38. Ele foi autuado por tráfico e porte ilegal de munição.

Polícia prende três pessoas em Jequié suspeitos de tráfico de drogas

No local foram apreendidos cerca de R$ 12 mil, armas e 12kg de drogas.
Segundo polícia, trio integra uma quadrilha do município.

Do G1 BA
12Kg de drogas, duas armas e cerca de R$11 mil em espécie foram encontradas com a quadrilha. (Foto: Divulgação/ Polícia Militar) 
12Kg de drogas, duas armas e cerca de R$11 mil em espécie foram encontradas com a quadrilha. (Foto: Divulgação/ Polícia Militar)
 
Três pessoas foram presas e 12 kg de drogas foram apreendidas nesta terça-feira (30), durante uma operação de combate ao tráfico de drogas em Jequié, cidade localizada a cerca de 365 Km de Salvador.
De acordo com a polícia, os presos integravam uma quadrilha de tráfico de drogas e foram encontrados no bairro do Joaquim Romão, em Jequié, após uma denúncia anônima.
Com eles ainda foram encontrados cerca de R$ 11.980 mil em espécie, 4 kg de crack e 8,48 kg de cocaína pura, além de duas armas de fogo, duas balanças de precisão, sete celulares, um notebook, uma motocicleta e um carro.
Os presos têm idade entre 22 e 24 anos. Todos foram apresentados à polícia e estão à disposição da Justiça.

Clima de guerra: Trabalhador rural é morto a tiros no Novo Prado, em Itamaraju

Clima de guerra: Trabalhador rural é morto a tiros no Novo Prado, em Itamaraju 
Ao contrário do que se esperava, nem o Natal, tampouco a aproximação de um novo ano, foram capazes de frear o clima de guerra urbana que assola as cidades da região ultimamente. Esse fim de dezembro tem sido marcado por crimes violentos, assaltos e execuções ousadas, quase sempre em vias públicas. E na noite desta terça-feira, dia 30, a mais nova vítima dessa violência desenfreada, foi o trabalhador rural Josenildo de Souza Quintino, de 24 anos, executado com dois disparos de arma de fogo na região do tórax, na rua Menelic Félix Dias, no bairro Novo Prado, região oeste de Itamaraju. Segundo moradores próximos, a vítima ainda tentou fugir do atirador, mas cambaleando e perdendo muito sangue, acabou caindo numa profunda valeta e veio a óbito na sequência. Josenildo, empregado de uma fazenda muito conhecida em Itamaraju, seria usuário de drogas e já possuía pelo menos uma passagem na polícia. Na rua onde foi morto ninguém o conhecia. 
 buracod1 
Com muita dificuldade as polícias Civil e Militar, além do Departamento de Polícias Técnica (DPT) conseguiram chegar ao lugar do crime, numa ladeira bastante íngrime. O levantamento cadavérico foi realizado pelo investigador José Trindade e na sequência o auxiliar de necropsia Anderson Barbosa providenciou a remoção do corpo ao Instituto Médico Legal Nina Rodrigues de Itamaraju (IML) para exames de necropsia. A autoria e motivação do homicídio são desconhecidas e a delegada Dilma França já determinou a abertura de um inquérito policial para investigar o crime. As primeiras linhas de investigação partem dos princípios de dívida ou acerto de contas. 
(Por Ronildo Brito e Lênio Cidreira)

Jovem é assassinado com mais de 10 tiros em São José de Alcobaça

(Por Neuza Brizola)

 

O crime aconteceu na noite desta segunda feira, 29 de dezembro, na Rua João Rafael, bairro Planalto, povoado de São José, município de Alcobaça

Segundo informações, Geovane Gonçalves de Souza, 18 anos, morador da Rua Tocantins, bairro Zezinho, no distrito de São José, caminhava tranquilamente pela rua quando foi abordado pelo assassino que de arma em punho disparou várias vezes contra a vítima que não teve como se defender.
Mortalmente ferido, Geovane foi socorrido pelo SAMU para o Hospital Municipal de Teixeira de Freitas, aonde já chegou sem vida. As primeira informações dão conta de que pelo menos 11 tiros, provavelmente de pistola tenham atingido a vítima. O corpo já se encontra no IML onde será periciado.
O crime vai ser registrado na Delegacia da cidade de Alcobaça e as investigações ficarão sob a responsabilidade da delegada Rosângela Sousa.

Quem trabalha 6 meses não tem mais direito a seguro desemprego; veja mudanças

Na avaliação do governo, os gastos com esses benefícios estavam saindo de controle.


Ministro Aloízio Mercadante, da Casa Civil diz que medidas vão eliminar excessos, aumentar a transparência e corrigir distorções, visando a sustentabilidade dos programas que utilizam os fundos de Amparo ao Trabalhador (FAT) e da Previdência Social
Ministro Aloízio Mercadante, da Casa Civil diz que medidas vão eliminar excessos, aumentar a transparência e corrigir distorções, visando a sustentabilidade dos programas que utilizam os fundos de Amparo ao Trabalhador (FAT) e da Previdência Social
As normas de ingresso e de manutenção dos brasileiros em cinco benefícios trabalhistas e previdenciários serão alteradas pelo governo federal. Nesta terça-feira (30/12), será publicado no Diário Oficial da União o envio de medidas provisórias ao Congresso Nacional, com ajustes nas despesas do abono salarial, do seguro-desemprego, do seguro-defeso, da pensão por morte e do auxílio-doença. As medidas começam a valer a partir de amanhã, mas precisam ser aprovadas pelos deputados e senadores para virarem lei. Elas vão gerar redução de custos de aproximadamente R$ 18 bilhões por ano, a preços de 2015. Confira a seguir as cinco medidas:

SEGURO-DESEMPREGOAntes, tinha direito ao seguro desemprego quem trabalhava por, no mínimo 6 meses com carteira assinada. Agora, a exigência é de 18 meses. Já para fazer a segunda solicitação do seguro-desemprego, é necessário ter 12 meses de carteira assinada. Já a terceira solicitação só poderá ser feita com mais 6 meses de carteira assinada.
PENSÃO POR MORTEAgora haverá carência. O depende recebe o benefício apenas se, quem morreu, tiver contribuído 24 meses com carteira assinada. Há ainda a exigência de comprovação de casamento ou união estável por pelo menos dois anos.
PENSÃO POR MORTE - CÁLCULO
A pensão por morte não será mais paga de forma integral. Agora, será pago 50% do valor, mais 10% por dependente. Além disso, cônjuges jovens não receberão mais a pensão vitalícia. O pagamento também vai depender da expectativa de vida do beneficiário.
AUXÍLIO DOENÇAAntes, a partir de 15 dias o beneficiário já podia receber o auxílio doença. Agora só oderá ocorrer a partir de 30 dias.
ABONO SALARIALPara receber o abono salarial é necessário trabalhar durante 6 meses sem interrupção. Antes, a exigência era de 1 mês. Além disso, o beneficio passa a ser proporcional do tempo trabalhado.

Raio mata 24 cabeças de gado em fazenda de Paraguaçu

Mais de 20 cabeças de gado foram atingidas pelo raio (Foto: Reprodução / TV TEM) 
Vinte e quatro cabeças de gado morreram após serem atingidas pela descarga elétrica de um raio na segunda-feira (29) em Paraguaçu Paulista (SP).
Os animais estavam no pasto e, segundo o proprietário, o raio atingiu uma árvore que estava próximas.

Os galhos ficaram no chão após serem atingidos. Ainda segundo Paulo Roberto Gomes, o prejuízo é superior a R$ 50 mil.
O pecuarista procurou a Secretaria de Defesa Sanitária da cidade e foi informado que a carne dos animais é imprópria para o consumo e foi orientado a enterrar as cabeças de gado. "A gente fica triste não só pelo prejuízo, mas também pelos animais. A gente cria amor por eles e ver todos caídos no chão é muito difícil", afirma.  
Galhos da árvore que foi atingida caíram  (Foto: Divulgação/ I7 Notícias) 
Galhos da árvore que foi atingida caíram (Foto: Divulgação)
 

Neymar curte festa com amigos em Trancoso


xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.SQmYqkRMaA 
Em recesso por causa das festas de fim de ano, Neymar escolheu a Bahia para começar a semana. O craque se divertiu com a irmã Rafaella Santos e com amigos na festa Saravá, em Trancoso, que fica no sul da Bahia. 
 380x379xNeymarfesta.png.pagespeed.ic.eUkXMB1rKr 
Além do atacante, também estiveram presentes o companheiro de time e baiano Daniel Alves, e a modela Ana Beatriz Barros.

Os cabelos amarrados, a angústia, os cinco dias de desaparecimento e o canto pesaroso do galo

Os cabelos amarrados, a angústia, os cinco dias de desaparecimento e o canto pesaroso do galo 
Ao amanhecer desta terça-feira (30), quando muitos eufóricos arrumam suas malas para a passagem do réveillon nas cidades praianas, acordo da calmaria de uma cidade quase vazia e o galo do vizinho com um canto “pesaroso” como diz minha mãe “Miúda”. Após uma postagem e outra, resolvo abrir o face e lá encontro a seguinte mensagem: “Quebraram os ossos de um filho meu, mas me devolveram, já meu outro filho eles consumiram com ele”. A mensagem de desespero é assinada por Juca Andrade, que está com o filho Pablo, de 23 anos, desaparecido desde o dia 25 de dezembro, feriado natalino. O jovem, que acabara de chegar de Vitória-ES., para trabalhar com o pai na apicultura, saiu para comprar doces para o filho de poucos meses e até agora nenhuma notícia. É claro que precisamos continuar torcendo para que o jovem Pablo apareça bem de saúde, mas numa região, assim como respondi na postagem feita por Juca, a quem chamo e ele me chama de “Camarão”, onde primeiro se atira, para depois perguntar o nome, temos primeiro que torcer, mas também exigir uma explicação das nossas autoridades, frente a esse misterioso desaparecimento. Para quem não sabe, conheci Pablo criancinha, de cabelo amarrado, assim como o pai, ao lado de Juca e dos irmãos, correndo felizes e brincando na orla tranquila de Mucuri. 

Bons tempos aqueles, que infelizmente não voltam mais. 

E o que dizer nessa hora? 

Parar por aqui, pois o galo do vizinho voltou a soltar mais um triste e longo canto ao lado de minha janela! 

Ronildo Brito é jornalista, radialista, graduando em Gestão Ambiental e editor de política do Teixeira News.