terça-feira, 30 de julho de 2013

Polícia Civil desarticula quadrilha acusada de assaltar segurança e joalheria

Policiais civis e militares foram acionados e conseguiram localizar os marginais em uma casa no bairro Caseb.

Policiais Civis da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR) de Feira de Santana prenderam na manhã desta terça-feira (30) três homens que faziam parte de uma quadrilha de assaltantes. Um dos bandidos é menor e mora em Salvador. Os outros dois foram identificados como, Eduardo Araújo da Conceição, conhecido como ‘Dida’, 26 anos, que reside no bairro Queimadinha, e Alexandro Evangelista dos Santos, 26 anos, residente em Conceição do Jacuípe.
 
Na noite de ontem (29), eles assaltaram um segurança do Boulevard Shopping e roubaram uma arma. Na manhã de hoje a quadrilha voltou a agir e assaltou, por volta das 8 horas, a joalheria Mascarenhas, localizada na rua Visconde do Rio Branco, próximo a Câmara Municipal de Feira de Santana. Eles roubaram dezenas de relógios, correntes, pulseiras, entre outros objetos.
 
Policiais civis e militares foram acionados e conseguiram localizar os marginais em uma casa na rua da Concórdia, bairro Caseb. Os três foram detidos e levados para o Complexo Policial Investigador Bandeira, onde foram autuados em flagrante.
Um dos marginais presos, Eduardo Araújo da Conceição, é apontado como o líder da quadrilha, e informou que no assalto a joalheria não houve planejamento, e que ele e os demais comparsas trabalharam em cima da oportunidade e da falha do sistema de segurança. 
 
Ele também confirmou que assaltou o vigilante ontem à noite, ao passar de carro pelo shopping com os outros dois comparsas. “Eu vi os seguranças, os parceiros pulou e ganhou o ferro. A gente só roubou um 38”, afirmou Eduardo. 
 
Dida, como é mais conhecido no mundo do crime, disse que decidiu ser assaltante por falta de opção e, segundo ele, se decidisse ser trabalhador, iria morrer. “Eu prefiro ser ladrão vivo e ser preso, do que ser trabalhador e morrer”. De acordo com ele, no bairro Queimadinha, onde mora, tem pessoas que querem matá-lo e completou: “Estou guerreando para sobreviver”.
 
O dono da joalheria, Gutemberg Mascarenhas, informou que se a polícia não prendesse os marginais, ele teria um prejuízo em torno de 160 mil reais. Segundo ele, haviam relógios cujos valores variavam de sete a 90 mil reais.
 
Todos os objetos apreendidos, incluindo as duas armas dos bandidos, foram expostos em uma mesa do cartório da delegacia.
 
 
O delegado André Ribeiro, titular da DRFR, confirmou que os bandidos praticaram dois assaltos nas últimas 24 horas, o do segurança do Boulevard Shopping e o da joalheria. Ele informou que foram apreendias três armas, incluindo a do vigilante tomada de assalto. As joias também foram recuperadas.
 
 
O Coronel Adelmário Xavier, comandante do CPRL (Comando de Policiamento Regional Leste) disse que a prisão da quadrilha é resultado de um trabalho que vem dando certo, entre as policias Civil e Militar. “Louvo o trabalho da Polícia Civil, que em tempo real conseguiu identificar, localizar e tirar de circulação esses delinquentes".

Nenhum comentário:

Postar um comentário