sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Romário se diz 'honrado' por ser cogitado para assumir Esporte

Romário defende afastamento de ministro caso suspeitas sejam comprovadas
O deputado federal Romário (PSB-RJ) divulgou nota nesta quarta-feira em que se diz "honrado" por seu nome ter sido cogitado para uma possível substituição do ministro do Esporte, Orlando Silva (PCdoB), na pasta, que enfrenta acusações de desvio de verba do programa Segundo Tempo - iniciativa de promoção de práticas esportivas voltada a jovens expostos a riscos sociais. A declaração de Romário cita a coluna Painel do jornal Folha de S. Paulo de hoje que diz que o nome dele foi sugerido à presidente Dilma Rousseff para assumir o ministério em uma eventual troca.
Mesmo honrado, o parlamentar ressalta que tem a intenção de cumprir seu mandato. "O convite para assumir qualquer outro cargo terá que ser muito bem pensado", disse. O deputado afirmou ainda que tem "boa relação" com Orlando Silva e avalia que ele tem feito um bom trabalho na pasta.
Para Romário, o ministro não terá condição de continuar no cargo caso as denúncias se confirmem. "Se, ao fim das apurações, for comprovado que ele cometeu atos ilícitos, ele deve ser afastado e devolver tudo que foi desviado", afirmou.
As acusações contra Orlando SilvaReportagem da revista Veja de outubro afirmou que o ministro do Esporte, Orlando Silva (PCdoB), lideraria um esquema de corrupção na pasta que pode ter desviado mais de R$ 40 milhões em oito anos. Segundo o delator, o policial militar e militante do partido João Dias Ferreira, organizações não-governamentais (ONGs) recebiam verbas mediante o pagamento de uma taxa que podia chegar a 20% do valor dos convênios. Orlando teria recebido, dentro da garagem do ministério, uma caixa de papelão cheia de cédulas de R$ 50 e R$ 100 provenientes dos desvios que envolveriam o programa Segundo Tempo - iniciativa de promoção de práticas esportivas voltada a jovens expostos a riscos sociais.
João Dias Ferreira foi um dos cinco presos no ano passado pela polícia de Brasília sob acusação de participar dos desvios. Investigações passadas apontavam diversos membros do PCdoB como protagonistas das irregularidades, na época da Operação Shaolin, mas é a primeira vez que o nome do ministro é mencionado por um dos suspeitos. Ferreira, por meio da Associação João Dias de Kung Fu e da Federação Brasiliense de Kung Fu, firmou dois convênios, em 2005 e 2006, com o Ministério do Esporte.
O ministro nega as acusações e afirmou não haver provas contra eles, atribuindo as denúncias a um processo que corre na Justiça. Segundo ele, o ministério exige judicialmente a devolução do dinheiro repassado aos convênios firmados com Ferreira. Ainda conforme Orlando, os convênios vigentes vão expirar em 2012 e não serão renovados.


Lenio Cidreira

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Combate ao lixo no Arquipélago de Abrolhos mobiliza ambientalistas e comunidade

Para garantir vida longa a um dos destinos mais ricos em biodiversidade de todo o Brasil, entidades ambientais e parceiros realizaram, nesta terça-feira, dia 18 de outubro, o II Mutirão de Limpeza no Arquipélago de Abrolhos. Além da coleta do lixo, houve a triagem e a pesagem dos resíduos sólidos que chegam ao Arquipélago provenientes, em sua maioria, de descartes irregulares no oceano. De acordo com o coordenador de Educação Ambiental do Instituto Baleia Jubarte, Kid Aguiar, “a proposta é elaborar um diagnóstico mais preciso da região, para que seja possível analisar o tipo de lixo mais comum, avaliar os processos dinâmicos do ambiente, o impacto da presença humana nas ilhas, e à sua volta, e os efeitos cumulativos relacionados também à visitação turística em Abrolhos”.

Como forma de melhorar a relação do ser humano com o seu meio ambiente, o Projeto Baleia Jubarte – iniciativa patrocinada pela Petrobrás por meio do Programa Petrobrás Ambiental – prevê que os resultados tendem a ser positivos por reunir também professores que não conhecem o Parque, mas participam das atividades de educação ambiental e são os principais multiplicadores em sala de aula, transmitindo esta mensagem a estudantes e alunos das comunidades da região. A sensibilização é necessária.

Prova disso que é o mutirão realizado em 2010 recolheu mais de 337 kg de lixo (distribuídos em 100 sacos plásticos). Em meio aos resíduos de papelão, plástico, espuma, metal, borracha e nylon, entre outros, foram encontrados capacete, pneu e até roupa de mergulho.

De acordo com Kid Aguiar, a edição de 2011 é importante para continuar o diagnóstico do local nos quesitos origem dos resíduos e distribuição,de acordo com os locais de coleta (ilhas). Com o resultado será possível iniciar uma avaliação mais precisa de como o Arquipélago está sendo afetado pela ação humana e, até mesmo, de como estes resíduos vem impactando a vida das espécies que frequentam a região.

Coordenaram e participaram dessa ação o Projeto Baleia Jubarte, o Patrulha Ecológica – Escola da Vida, a Organização Sócio-Ambientalista Jogue Limpo, o Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, a Marinha do Brasil e as empresas Horizonte Aberto Catamarans e ZM Embalagens - Sacos de Lixo Oxi-biodegradáveis.

O Parque Nacional Marinho dos Abrolhos

Além da biodiversidade característica do local, reconhecido por sua beleza e exuberância, o Parque Nacional Marinho dos Abrolhos possui uma formação coralínea, chamada “chapeirão”, única no mundo. São cinco ilhas (Ilha de Santa Bárbara, Siriba, Redonda, Sueste e Guarita) no entorno da região, marcada, principalmente, pela rica vida marinha. O local é também o maior berço reprodutivo das baleias jubarte em todo o Atlântico Sul, o que explica o fato de o Instituto Baleia Jubarte manter uma de suas sedes em Caravelas, ponto do continente mais próximo ao Arquipélago.

O Parque Nacional Marinho dos Abrolhos foi criado com a finalidade de preservar atributos excepcionais da natureza, aliando a proteção integral da flora e fauna e das belezas naturais à sua utilização para fins educacionais, recreativos e científicos, de acordo com normas estabelecidas pelo Instituto Chico Mendes.

Lenio cidreira